Empreender após a maternidade


A frase de uma escritora e publicitária Mineira tornou-se uma grande realidade para mim: “Filhos costumam parir grandes empreendedoras”.


Sou a Manu mãe da Mel de cinco anos, formada em secretariado executivo, sempre trabalhei em regime CLT e até em três empregos ao mesmo tempo!!


Quando engravidei já tinha junto com meu marido a Resulta4, uma empresa de comunicação marketing e gestão na qual trabalho até hoje na parte administrativa e financeira.


Com o nascimento da Mel fiquei mais afastada do lado profissional, mas com o privilégio que poucas mulheres no nosso país têm de ficar o tempo todo com a minha filha e amamentá-la até quase três anos de idade, o que não deixa de ser um trabalho bem cansativo.


Passado esse período, voltei para Resulta4, mas minha demanda de trabalho era pouca, sempre achava que eu queria e poderia fazer mais.


Durante um tempo ajudei uma amiga na administração do grupo Mães Empreendedoras de Atibaia e Região do Facebook e criamos o Mercado Materno, que se concretizou com dois eventos com produtos só de Mães. Mas, ainda assim, estava só nos bastidores do empreendedorismo.


Foi então que no final de 2020 criei a Com Mel Moda e comecei a vender roupa infantil e sigo firme e forte nesse projeto, mas como roupa não vende todo dia, eu ainda queria mais!

Sempre ficava pensando, o que poderia fazer?


No dia a dia, em casa, sempre fiz uma farofinha de grãos que minha mãe me ensinou para comer com salada. Conversando um dia com o meu melhor amigo que tem uma hamburgueria, ele falou: “Estou pensando aqui em criar um lanche e colocar seus grãos nele”, e ele fez o lanche Milão que está no cardápio da Petiscleta, e daí veio a ideia: Porque não vender essa farofinha? “Gourmetizei” a farofinha para mix de grãos e com a expertise da nossa agência, com a ajuda do meu marido nasceu o Croc Grãos. Sigo nos dois negócios, sempre tentando expandir, aprender e fazer o melhor para os meus clientes.


Empreender não é uma decisão fácil! Não tem o salário garantido no fim do mês, muito perrengue para dar conta da demanda dos negócios, mais filha, mas para a maternidade que EU ESCOLHI não teria como ser de outro jeito.


Sou privilegiada por ter optado e poder empreender. E também admiro muito as mães que, por escolha ou falta de alternativa, voltaram aos seus trabalhos.


Entre erros e acertos tanto no empreendedorismo como na maternidade, sou muito feliz com a escolha que eu fiz e acredito que foi o melhor tanto para mim quanto para minha filha!


Até a próxima!

Manu Alvim

75 visualizações3 comentários