Fratura em Crianças - Dr Willian Ricardo de Oliveira

As crianças estão em crescimento e desenvolvimento do sistema musculoesquelético e

também podem apresentar fraturas, assim como ocorre nos adultos.


Essas lesões podem ocorrer após acidentes com maior energia, como atropelamentos ou

quedas de bicicleta ou ainda por traumas mais leves, como queda de uma altura pequena ou o simples fato de se defender de uma bola com a mão, por exemplo.


Fraturas em crianças variam com a idade :

Recém nascidos - podem apresentar fratura da clavícula durante o parto.

Crianças que andam - podem sofrer quedas com braço estendido e apresentar fratura punho e cotovelo com mais frequência.


Crianças maiores - apresentam fraturas durante atividades esportivas, quedas bicicleta,

geralmente as fraturas ocorrem em mãos, punho e cotovelos com mais frequência .


O que muda em relação aos adultos?

Diversos fatores fazem com que as fraturas em crianças sejam completamente diferentes dos

adultos.


As crianças possuem uma menor densidade mineral óssea que os adultos, Isso torna os ossos mais elásticos, o que lhes permite deformar com maior facilidade.


É por essa razão que as crianças podem apresentar lesões típicas da infância (Figuras 1, 2 e

3).


Somente no esqueleto ainda em desenvolvimento o ossos pode amassar, entortar ou trincar

sem que perca seu alinhamento ou deforme.


Fratura em galho verde (“Greenstick fracture”).

Note que os ossos (rádio e ulna – antebraço) se entortaram consideravelmente após quebrar somente um dos lados, semelhante a quando

tentamos quebrar um galho verde de uma árvore.





Deformidade plástica – observe que os ossos (rádio e ulna – antebraço) se entortam, mas sem perder a sua integridade.






Fratura em tórus (Buckle fracture).

É possível ver que o osso (rádio, no punho) simplesmente se amassa em um dos lados, sem grande deformação.







Nas crianças existe uma membrana que é responsável pelo crescimento em espessura, pela

nutrição e inervação dos ossos é chamada de periósteo , que é mais espessa quanto mais

nova é a criança.


Este periósteo é um dos motivos pelo qual as fraturas em crianças menores são mais estáveis, precisando de menos fixação cirúrgica, e se consolidam (colam) mais rapidamente.

Também existe nas crianças a cartilagens de crescimento que de igual maneira auxilia na

remodelação óssea após uma fratura .


Remodelação é o nome dado à tendência dos ossos de crianças e adolescentes de voltar ao

formato original após uma fratura com desvio.


Quais são os sintomas?

Nas crianças a dor tende a ser mais branda que nos adultos, e o membro fraturado pode ser

inclusive utilizado com pequenas limitações funcionais, daí a importância de sempre procurar

um ortopedista.


Como fazer o diagnóstico?

O exame de raios-x muitas vezes é suficiente para se avaliar e descartar se apresenta fratura .

É primordial que o exame seja interpretado por um especialista.


Qual é o tratamento?

Geralmente basta uma imobilização com gesso por um período até a consolidação da fratura.


Muitas vezes os pais se assustam com certos desvios observado no exame de RX , mas em

crianças pelo fato de estar em desenvolvimento muitas vezes se aceita alguns desvios sem

nenhum prejuízo no futuro.


No entanto há fraturas que não toleram certos desvios, sobretudo quando envolvem as regiões próximas às articulações ou acometem diretamente as cartilagens de crescimento.

Nestes casos, os ossos devem ser reduzidos (colocados de volta ao lugar) e eventualmente fixados por meio de cirurgia, pois podem levar a resultados inadequados no caso de tratamento incorreto.


Por diversos fatores, as fraturas em crianças costumam ter um bom prognóstico (boa evolução) após o tratamento.


Eventualmente pode ser necessária reabilitação com fisioterapia ou terapia ocupacional, mas

esta não é a regra.




Sou o Dr. Willian Ricardo de Oliveira e, para quaisquer dúvidas ou orientações, estou a disposição para ajudar .


Atendo nos hospitais do Sabin , AMHA e na Clínica cora .






21 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo