O Universo Artístico Pandêmico

Atualizado: Abr 15

"Dizem que os poetas possuem um parafuso a menos, sendo que mais justo seria dizer que possuem parafusos trocados e que isso provoca uma disfunção lírica", essa frase do grande poeta surrealista Manoel de Barros consegue explicar o quanto nós Artistas conseguimos driblar todas as adversidades impostas pela Pandemia.


Em especial na área teatral nossa capacidade de reinventar-nos como artistas criadores superou todas as expectativas, e um público fiel a Arte pode saciar sua imensa sede de entretenimento e intelectualidade acerca das grandes obras encenadas via Lives ou plataformas digitais, que além da inovação, propôs ao público uma maneira lúdica e prática de frequentar o Teatro em família.


Inúmeros grupos realizaram espetáculos emocionantes, como "A Arte de encarar o Medo" do renomado Grupo Paulistano "Os Satyros", que alcançou praticamente público no mundo todo, fato esse que levou a peça teatral a ganhar inúmeras premiações e virar um filme de longa metragem que está começando a ser rodado com previsão de estréia para 2022/2023.

Dessa forma, o Ator, considerado o elemento mais importante em uma encenação de Teatro pode continuar a exercer seu valioso e digno trabalho, ao mesmo tempo que abasteceu-se de novos olhares e aplausos calorosos, capaz de sustentar seu brilho no olhar em interpretações únicas e marcantes ao longo de um período no qual mais uma vez o Teatro não morreu.


E não parou por aí, atores e diretores criativos e incansáveis na busca de novos horizontes que pudessem trazer algo de belo e de esperança, ousaram a produzir filmes de curta, média e longa metragem, bem como séries independentes com um recurso de tecnologia ao alcance de todos: a câmera de um celular, que associada a um imenso trabalho de pesquisas e estudos, resultaram em super produções, como a Websérie: "A QUARENTENA", do Diretor paulistano Jean Dandrah, na qual eu particularmente tive a honra de participar como um dos protagonistas, alcançando imenso sucesso de crítica e público. "A Quatentena" foi para o YouTube e virou matéria de destaque do Jornal "O Correio Brasiliense", como a única e inédita série independente filmada por câmeras de celulares e com luz natural em todas as cenas. Um projeto rico, audacioso e de Vanguarda.


Soma-se as grandes realizações artísticas na Pandemia, músicos, artistas plásticos, artistas visuais, performers, poetas e tantos outros Artistas famosos ou anônimos que seguiram firme e fortes nas suas manifestações em pró da cultura, do entendimento da vida e muito além disso: das complexidades humanas na busca incessante de se tornar seres humanos melhores, capazes de transformar pessoas com seus ideais de liberdade, igualdade e fraternidade.


Enfim, ...

"A Arte Existe porque a Vida não Basta" (Ferreira Goullart).



Sou Wellington Duran.

Faço parte da Equipe do Colégio Atibaia há 17 anos como professor e arte educador.

Minha carreira iniciou em março de 2000 no teatro amador e, em minha trajetória, participei de diversas peças teatrais, trabalhei em filmes e como modelo comercial e fotográfico para marcas renomadas.

Em Atibaia e região fundei o TEATRO ARTAUD.

16 visualizações0 comentário